Boa tarde. Muito se fala de quanto o açúcar é mau para a saúde. Já temos alguma consciência de que o açúcar é mau, apesar de não entender-mos bem porquê. Hoje trago este artigo para esclarecer todas as dúvidas além de vos apresentar algumas alternativas.

Um dos piores alimentos para a saúde - o açúcar.
Um dos piores alimentos para a saúde – o açúcar.

Normalmente, quando falamos de açúcar, referimos-nos àquele que todos temos em nossas casas: o refinado. Todos nós gostamos de algum doce nas nossas vidas, mas o pior nem é o doce em si que comemos de vez em quando. É a quantidade deste produto que está escondido nos nossos alimentos do dia-a-dia.

.Em primeiro lugar, vou falar das diferenças entre ele e o seu “primo” – o mascavado. O açúcar mascavado é o produto em “bruto”. É obtido a partir do caldo-de-cana. Depois de uma série de refinamentos e adição de produtos químicos para que se altere a cor e se apresente como um produto uniforme, temos a sua versão refinada – um produto “limpo”. Digo “limpo” pois a única coisa que foi retirada ao açúcar mascavado foi as suas vitaminas e minerais. Em resumo, acabamos com um produto com calorias vazias, sem quaisquer nutrientes.

A dependência de açúcar

Quando consumimos açúcar, ocorre a libertação de um neurotransmissor responsável pela sensação de bem estar, a dopamina. Este é o mesmo neurotransmissor que é libertado quando há o consumo de uma substancia ilícita – a cocaína. É este o motivo pelo qual é gerada adição no nosso corpo. Dependendo de pessoa para pessoa, a adição pode ser tão grande que ocorrem sintomas de ressaca quando não é consumido.

Porque somos viciados em açúcar

O problema desta parte não começa em nós. A indústria alimentar é a culpada, pois insere este produto em mais de metade de tudo aquilo que consumimos diariamente. Se não acreditar, pegue em 10 produtos processados que tenha em casa e veja os seus ingredientes: vai ter uma surpresa desagradável ao ver quantos deles tem este “veneno” escondido.

O ato de comer tornou-se em algo mais do que alimentar o nosso corpo: tornou-se um comportamento social. Com isto quero dizer: pense em aquelas vezes que vai jantar com amigos e no refrigerante que bebe. Ou pense naquele café acompanhado com um chocolate ou naquela fatia de bolo que o seu colega de trabalho distribui pela empresa toda. Como pode ver, todos os dias consumimos açúcar sem ter consciência disso. E por isso é que deixar de consumir açucares se torna tão difícil – estão presentes em quase tudo que comemos bem como a dependência que causam.

Problemas relacionados com o açucar

Para começar, podemos falar do envelhecimento precoce da pele. Quando consumimos quantidades grandes de açucares, como entre o Natal e ano novo, se calhar reparou que se sentia inchado e pesado. Porém, pouco do peso que ganhou é gordura. Pouco depois o inchaço passa quando volta à sua rotina normal. Digo isto no sentido de que a sua pele esticou e voltou à normalidade.

O mesmo ocorre com quantidades pequenas de açúcar, mesmo quando você não repara. Ao fim de anos esticando a pele, ela fica com a sua elasticidade comprometida, dessa forma não podendo voltar a sua forma original.

A sua relação com a obesidade

A obesidade e ganho de peso ocorre devido a uma ingestão de calorias superior ao que o nosso corpo consome. Como falei anteriormente, o açúcar refinado tem apenas calorias vazias, sem qualquer valor nutricional. Cada grama de açúcar refinado tem quatro calorias. Se multiplicarmos isto pelas 33 gramas que encontramos numa lata de refrigerante, já encontramos 132 calorias que passávamos bem sem as consumir. Por fim pense em quantas latas e doces consome mensalmente e quantas calorias já consumiu desnecessariamente.

Açúcar e a demência

Um estudo publicado pela revista “Diabetologia“, no qual seguiu 5189 pessoas ao longo de 10 anos, concluiu que pessoas com um nível de açúcar no sangue superior, tinham um declínio cognitivo mais acentuado com o passar dos anos. Inegavelmente, um nível de açucares no sangue alto é o que acontece quando ingerimos açucares, pois eles entram na corrente sanguínea em questão de minutos, o que causa picos de açucares. Assim sendo, podemos comprovar que para uma mente mais saudável, é importante o consumo reduzido de açucares, principalmente porque até à data, ainda é desconhecido como reverter a demência.

Saúde bocal

Não é novidade para ninguém que existe uma relação entre cáries e açucares. Isto acontece porque as bactérias presentes na nossa boca se alimentam exclusivamente de açucares, produzindo assim ácidos. Esses ácidos com o tempo vão dissolvendo os esmalte dos dentes. O esmalte é responsável pela proteção da dentina e da polpa do dente, que são zonas mais sensíveis.

Em conclusão, quando consome açucares também está a deixar os seus dentes desprotegidos, o que além do desconforto causado pelas caries, o leva a gastar muitos euros na reparação dos seus sentes.

Alternativas ao açúcar refinado

Hoje em dia, no supermercado, não só conseguimos encontrar alternativas ao açúcar refinado, bem como adoçantes. Porém, o segundo também é uma má opção, pois consegue ser tão mau ou pior que o açúcar refinado. Por isso a maneira mais saudável para adoçar aquele café pode passar pelos seguintes açucares:

  • Açucar mascavado:

Não deixando de ser um açúcar e por esse mesmo motivo deve ser consumido com moderação, ele mantém os nutrientes que se perderam durante o processo de refinação, tais como a fibra, o ferro, vitaminas entre outros.

  • Açucar de coco:

Este é mais uma ótima alternativa ao açúcar refinado, pois além de não passar por nenhum processo de refinação, tem um baixo índice glicémico e uma ótima capacidade adoçante. Para quem não sabe, o baixo índice glicémico significa que não causa picos de insulina, por ter uma absorção mais lenta.

  • Mel

Apesar de bastante calórico, como qualquer outro açúcar, o mel tem propriedades anti-inflamatórias e antibióticas, além de ser rico em ferro, zinco, vitamina C e vitaminas do complexo B.

  • Stevia

A stevia é um adoçante natural extraído da planta Stevia rebaudiana, a qual é nativa da América do Sul. Esta planta além de adoçar sem ter calorias, também tem outros efeitos benéficos para a saúde, tais como uma redução da pressão arterial, bem como uma redução significativa dos níveis de açúcar no sangue.

Conclusão

Podemos chegar à conclusão que o consumo de açúcar, quer aquele que nós adicionamos nos nossos alimentos, mas principalmente aquele que “invade” os nossos alimentos sem que nos apercebamos, vai acabando com a nossa saúde aos poucos. Porém, depois deste artigo, já viu que só lhe trás benefícios a redução ou substituição deste “veneno” na sua alimentação.

Veja também mais artigos sobre alimentação: