Cuidado com a desidratação - cuide de si
Cuidado com a desidratação – cuide de si

Está a chegar o verão, e quase toda a gente gosta de beber uma bebida fresca e refrescante. Até mesmo aqueles que fazem do corpo uma religião, acabam por jantar fora e acompanhar a sua refeição com um refrigerante ou uma cerveja.
O que acontece, é que muitas vezes não bebemos suficientes líquidos, ou líquidos de qualidade para o nosso corpo, e assim, a desidratação pode por em perigo a nossa saúde e o nosso bem estar.

O artigo de hoje vem no sentido de alertar para os perigos, assim como ajudar com algumas dicas sobre cuidados a ter e sintomas de desidratação para os quais deve estar alerta.

O que é a desidratação?

Antes de mais, saiba que desidratação é mais do que apenas sentir sede. A desidratação ocorre quando há uma perde de água superior aquela que é ingerida e põe em risco o bom funcionamento das atividades vitais do organismo.

Como falei no artigo sobre a importância da hidratação, a água tem um papel importante no desporto, mas não só.

Quase todas as reações químicas e processos que ocorrem no nosso organismo, precisam de água. Por essa razão a falta de água vai comprometer o nosso bem-estar e em casos mais severos, pode mesmo levar à morte

Possíveis causas da desidratação

As altas temperaturas de um dia de praia podem causar desidratação.
As altas temperaturas de um dia de praia podem causar desidratação.

Como todos sabemos, um dia de muito calor ou beber pouca água já são suficientes para ficar-mos desidratados. Mas as suas causas são muito mais do que estas duas que acabei de referir:

Em primeiro lugar, quero destacar os alimentos com propriedades diuréticas. De eleição para muitas mulheres que querem acabar a retenção de líquidos no verão, estes alimentos acabam por nos fazer ir muitas vezes a casa de banho. Sem dar-mos conta, perdemos facilmente muita água.

Em seguida, outra das razões mais comuns que alguém corre o risco de desidratação é a ingestão de bebidas alcoólicas. Uso o exemplo da cerveja: Mesmo sendo constituída 93% por água, ela acaba desidratando quem a consome. Para tornar tudo pior, as bebidas alcoólicas também prejudicam a capacidade de sentir os primeiros sintomas de desidratação, como sede e cansaço.

Uma outra causa também muito recorrente, é a prática de exercício físico. Quando praticamos alguma atividade física, a nossa temperatura corporal sobe. Quando isso acontece, uma resposta do organismo é a transpiração, na qual o corpo perde muita água com o objetivo de baixar a temperatura. Por isso, sempre que praticar exercício físico, leve a sua garrafa de água e cuide de si.

Causas relacionadas com outras doenças

Outras causas da desidratação também podem estar relacionadas diretamente com as doenças ou o seu tratamento.

Um exemplo são as pessoas que sofrem de diabetes. Quando os seus níveis de açúcar no sangue ficam demasiado altos, o corpo tenta expulsar esse excesso através da urina. Dessa forma, acabam por perder mais líquidos em menos tempo.

Toda a gente pode perder grandes quantidades de líquidos por esta mesma razão, mas os diabéticos são mais propensos a ter o seu nível de açúcar no sangue demasiado alto.

Outra razão para a desidratação ocorrer, é a ingestão de medicação. Quando ingerimos um medicamento, o nosso foco é curar a condição que sofremos nesse mesmo momento.

O que por vezes não pensamos é nos efeitos secundários que esse medicamento pode causar. Entre os efeitos secundários mais comuns na medicação, está o seu efeito diurético. Como referido acima, este pode nos fazer ir a casa de banho várias vezes e assim fazer perder muita água.

Causas relacionadas com a gravidez

Na gravidez, a mulher precisa de água para si, assim como para o bebé.
Na gravidez, a mulher precisa de água para si, assim como para o bebé.

Quando uma mulher entra numa fase de gravidez, ela acaba por entrar também numa fase em que o bom funcionamento do organismo está mais susceptível a qualquer condição. E a desidratação não é exceção:

Nesta fase da sua vida, a mulher vê o seu fluxo de sangue aumentado. Para isso ela requer grandes quantidades de água. Se ela não ingerir água suficiente, pode ver o correto funcionamento de outras funções vitais comprometidas por falta de água.

Outro fator de risco, são os constantes vómitos. Estes exigem bastante água para repor os líquidos presentes no estômago.

Já mais tarde, no período de amamentação, também temos de ver que a mulher necessita ingerir água suficiente para duas pessoas: Para ela e o seu filho. A desidratação nestes casos não só pode comprometer a saúde dela, como o leite não ter a mesma qualidade e assim afetar o crescimento e desenvolvimento do seu filho.

A lista de causas acaba aqui?

Infelizmente, não. Outras causas que podem causar a desidratação são as seguintes:

  • Má alimentação
  • Envelhecimento
  • Síndrome do Cólon irritável
  • Stress
  • Menstruação

A lista não acaba aqui, mas por entre dezenas ou centenas de causas, estas são certamente as mais comuns.

Como é praticamente impossível estar atento a todas as possíveis causas, é mais fácil ter atenção aos possíveis sintomas que pode vir a sentir. E é dessas que vou falar em seguida:

Sintomas de desidratação

Antes de entrar em fases mais avançadas de desidratação, o nosso corpo começa a mostrar sinais de que precisa de se hidratar de modo a voltar a funcionar corretamente.

As primeiras respostas do organismo à falta de água, começam pela sede e boca seca.

Em casos um pouco mais severos, podem-se seguir tonturas e dores de cabeça.

Outro sintoma é o aumento do batimento cardíaco. Como o sangue não tem água suficiente, vai-se tornar mais espesso. Assim, o coração vai ter de trabalhar mais arduamente para garantir o fluxo de sangue necessário.

Por outro lado, vai também diminuir o volume de sangue no nosso corpo, o que vai levar a nossa pressão arterial a sofrer um declínio.

Como falado anteriormente, o nosso corpo necessita de água para as suas atividades vitais. Na falta dela, vai haver um declínio dos níveis de energia. Dessa forma, é normal se sentir fatigado e cansado.

Por último, um outro sintoma que ocorre pela falta de água e que é muitas vezes ignorado ou “escondido” com um comprimido é a dor de cabeça. A origem das dores de cabeça pode, por vezes, ser descoberta com base da zona em que se sente a dor, porém, este não é um desses casos:
Quando sofremos de desidratação, podemos sentir a dor em qualquer parte da cabeça.

Como re-hidratar

Tenha sempre a sua garrafa de água consigo - é uma mas melhores formas de cuidar de si.
Tenha sempre a sua garrafa de água consigo – é uma mas melhores formas de cuidar de si.

Não conseguimos estar sempre atentos a todos os sinais que o nosso corpo nos dá, e dessa forma é normal por vezes acabar-mos por ficar desidratados.

Quando isso acontece, o nosso foco tem de ser re-hidratar o corpo, de forma a fazer com que o nosso corpo volte a ter um equilíbrio. Para isso, há várias coisas que podemos fazer para dar ao nosso corpo a água que ele perdeu:

A primeira solução, obviamente, é beber água. Nunca é demais dizer que o nosso corpo é 65% a 75% constituído por água. Este valor não é certo, por depende de muitos fatores como altura, idade etc…

Já por muitas vezes ouvir falar que deve beber cerca de dois litros de água por dia. Porém, mesmo essa quantidade pode não ser suficiente. Mas beber água não é tudo que pode fazer, há muitas outras opções, como por exemplo:

  • Comer fruta e legumes

Dependendo da fruta ou do legume, esta pode ser constituída por até 98% água. Por exemplo: Ao ingerir uma maça com 200 gramas, está a ingerir por volta de 170 ml de água.

  • Bebidas isotónicas

Primeiro, não confunda com bebidas energéticas. Enquanto que as bebidas isotónicas podem repor a água e os minerais perdidos pela transpiração, as bebidas energéticas causam o efeito contrário. Tenha cuidado.

  • Adicione sabor à água

Dependendo das pessoas, a água pode não “chamar a atenção” por esta não ter nenhum sabor. Por essa razão, se é uma dessas pessoas, tente fazer por exemplo chá ou infusão, de forma a que manter-se hidratado/a não seja um problema.

Conclusão

Principalmente no verão, é fácil deixar com que o nosso corpo fique desidratado. Quem nunca chegou a casa depois de um dia de calor com uma sensação de cansaço e uma dor de cabeça? Evitar por vezes torna-se inevitável, mas evitar que tudo se torne pior já depende de nós.

Veja também: