Conhecida por muitos, a meditação é uma prática que teve início no oriente, mas atualmente, tem vindo a conquistar o ocidente. Isto ocorre devido aos seus benefícios quer a nível físico, assim como mental.

Meditação - Sinónimo de paz no corpo e na mente
Meditação – Sinónimo de paz no corpo e na mente.

Praticada desde séculos, a meditação sempre fez parte de muitas culturas, tais como a cultura chinesa, assim como a cultura hindu, ou budista, entre outras. Porém, com a informação que temos hoje em dia do mundo, sobre outras culturas, elas se vem misturando. Por essa razão, a meditação tem vindo a se tornar popular no ocidente, pois quem pratica pode confirmar o equilíbrio que uma prática trás até si.

O que é a meditação?

A meditação é muito mais que simplesmente nos colocar-mos de pernas cruzadas em silêncio. Ela na verdade é uma prática que leva o seu praticante a entrar num estado de clareza emocional e mental, através de técnicas como focar a sua mente em um pensamento.

Enquanto que muitas vezes a sua definição está ligada a pratica em si, muitas outras vezes a sua definição vai de encontro a um estado de consciência. Por outro lado, todas essas definições se convergem no mesmo: uma prática que nos guia em caminho a um estado mental distinto e superior, capaz de elevar a nossa capacidade de concentração e raciocínio.

Que benefícios nos trás?

Já são conhecidos inúmeros benefícios desta pratica, entre os quais podemos encontrar os seguintes:

  • Redução da ansiedade;
  • Redução de stress;
  • Melhoria de memória e retardamento da perda de memória relacionada com a idade;
  • Sistema imunitário mais forte;
  • Equilíbrio emocional;
  • Melhoria do sono;
  • Aumento da capacidade de concentração.

Claro que a nossa lista de benefícios, não fica só por aqui, visto que a meditação nos trás directamente e indirectamente dezenas de vantagens para nós.

A meditação pode ser o habito do seu dia-a-dia que lhe trás a calma que precisa.

Como meditar?

Preparação

O primeiro passo de meditar deixar de lado todos os aparelhos que podem incomodar-nos. Entre estes aparelhos cito telemoveis, assim como computadores ou outro aparelho que pode estimular-nos para longe da tranquilidade que buscamos.

Devemos também conhecer em que lugar nos adaptamos melhor: Isto vem através da tentativa e “erro”. Podemos levar várias sessões até encontrar um sitio que nos faça ir mais longe. Experimente todo o tipo de sítios: há quem prefira a tranquilidade do quarto, assim como há quem escolha a natureza do jardim.

O horário também é outra variante da prática da meditação. É normal ao longo do dia ter-mos estado de espírito diferentes, mas entre a agitação da manha ou o cansaço perto da hora de dormir, vai de certeza haver uma hora em que se sinta melhor.

A posição

A posição é algo muito importante: ela vai ditar como as energias dentro de si fluem, assim como a concentração com a qual vai praticar.

Entre inúmeras posições, tente buscar aquela que sinta o equilíbrio perfeito. Com o tempo vai perceber que uma posição muito rígida acaba por ser tão prejudicial como uma posição muito suave e confortável. Procure o equilíbrio entre os dois e alcance uma posição com a qual consegue ficar temporariamente imóvel. Assim como uma mente saudável só vive num corpo saudável, um corpo inquieto vai gerar uma mente inquieta.

A respiração

A respiração também tem destaque na meditação. É através dela que nos concentramos, assim como é através dela que deitamos tudo a perder.

Da mesma forma que a maneira como respiramos ao longo do dia influencia o nosso estado, a nossa respiração enquanto meditamos nos vai ajudar a trazer os tão importantes benefícios.

É através da respiração que dizemos ao nosso corpo para se acalmar. Deve respirar lentamente e profundo. Leve tempo treinando a respiração. Procure ter uma respiração o mais lenta possível, mas sem se sentir desconfortável. Cada vez que expire, sinta os seus músculos a descontrair e relaxar.

Pensamentos

Ao longo da sessão vão surgir bastantes pensamentos: num segundo estamos concentrados na nossa respiração, mas no segundo a seguir, já estamos a pensar em algo: é normal, não se preocupe.

Pense nos seus pensamentos como a forma que o seu corpo tem para falar o que sente. Não tente evitar os pensamentos. Quanto mais evitar, mais o seu corpo vai tentar falar consigo. Aceite os pensamentos e ouça o que eles lhe querem transmitir. Fale consigo e vai ver que os pensamentos vão desvanecer por si mesmos.

Não se importe de pensar. Muitas vezes a meditação acaba por ser aquele momento de reflexão sobre algo. Esse algo é o que nos tem atormentado o dia todo, mas secalhar é como um pensamento que procura ser ouvido. Pense o que precisa de pensar sobre esse assunto e esse assunto não o incomodará mais. Se evitar pensar, a sua mente só vai continuar a lutar para solucionar o problema.

Disciplina

Assim como na vida, na meditação a disciplina tem o seu papel e a sua importância. Em vez de se forçar a sentir uma tranquilidade cada vez que medita, construa uma rotina a volta da meditação. É normal das primeiras vezes não ser capaz de ficar mais do que alguns minutos a meditar.

O importante é criar um hábito de o fazer diariamente. Com o tempo vai ver que não só consegue fazer sessões maiores, assim como vai entender melhor a meditação e que não se precisa de forçar a nada. Regularmente, tome o seu tempo para meditar. Tome o seu tempo para pensar e esquecer o stress do dia, mesmo que as vezes a forma de o fazer seja pensando nesse mesmo dia.

Terminando, o meu conselho é criar a sua rotina de meditação: não precisa de mais do que 15 minutos. Pense no tempo que diariamente desperdiça em atividades que pouco ou nenhum benefício que trazem e substitua por uma prática que lhe trás mais saúde, paz e felicidade. Um bom dia a todos.

Veja também: